terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Temível Carga Carregada

Desde que entrei na universidade tive antipatia pelos alunos do quarto ano. Nunca conversava com eles. Quando assisti as bancas de final de ano eu torcia para eles se fuderem, e algumas vezes a minha torcida dava certo.
Nos anos posteriores já conhecia algumas pessoas do último ano, o que tornou mais emocionante a minha torcida. Só torcia a favor, e torcer a favor é sempre mais sofrível do que torcer contra. Eu os conhecia, por que, obviamente, não estavam no quarto ano quando os conheci. Ainda tinham alguns sorrisos no rosto e um brilho no olhar.
Eu via durante o ano os meus amigos se tornarem zumbis. Aos poucos iam ficando com os olhos cada vez mais fundos, sempre boquiabertos, e com a cabeça pensando em somente uma coisa: TCC.
No período de zumbi os meus amigos só tocavam em dois assuntos. Entre si, só falam no bendito TCC. Com os demais eles falam algo que é um defeito para qualquer pessoa. Entre si, é possível ouvir conversas do tipo: “Entrevistei uma fonte importante pro meu trabalho”, “Preciso arrumar as normas da ABNT”, “Hoje eu tenho orientação”, e todos os papos do gênero.
Com as demais pessoas eles têm o péssimo hábito de levar a sério a pergunta “Oi, tudo bem?”. A cada pessoa que faz esta pergunta, mesmo que não seja próxima, recebe uma resposta sempre sincera, até demais. É provável ouvir respostas como: “To cansado”, “Meu, to fudido”, “Cara, to ficando louco”, e outras coisas vindas de pessoas que não sabem que a pergunta é feita somente por educação.
Os zumbis crônicos são aqueles que andam pelos corredores somente com um livro na mão. E se alguém encostar no livro isso irá desencadear uma encarada com um olhar mortal. Eles brigariam perfeitamente, mas não tem tempo pra perder com seres tão insignificantes como nós, simples mortais.
O mais entristecedor é que eles nunca voltam ao normal. Depois que o antídoto faz efeito todos continuam sérios. Sempre mais responsáveis do que eram antes. O que me deixa preocupado é saber que chegou a minha vez. Chegou a minha hora de desenvolver o TCC: Terrível Carga Carregada.
Postar um comentário