terça-feira, 4 de março de 2008

O novo já nasce velho

Quando algo muda de nome, demora muito tempo pra mudar de nome. Explico. Mesmo que alguma coisa mude de nome, este algo demora muito tempo pra mudar de nome efetivamente. O nome antigo continua durante vários anos na cabeça dos mais antigos, que conheceram o algo com o seu nome de antes.Ainda não entendeu? Ókei, vamos aos exemplos práticos.Já há alguns anos o nosso querido e famoso Cefet recebeu o nome/grau de Universidade Tecnológica, a primeira do Brasil, diga-se de passagem. Mas, quem é que chama o Cefet de Universidade Tecnológica? Por muito tempo o Cefet vai continuar chamando-se Cefet, mesmo que ninguém saiba dizer o que significa.

UP
Recentemente o Unicenp recebeu a graduação de Universidade, passando a se chamar Universidade Positivo. A “nova” instituição recebeu a sigla ridícula de UP. Unicenp era muito mais descolado. O novo nome só não perde para o antigo na questão da propaganda. A trilha sonora da nova instituição será “get UP”, do grande James Brown. No final do ano não tocará mais musiquetas de natal na ponte, mas sim o hino Black “get UP”. As propagandas não terão mais modelos fingindo ser alunos que estão fingindo que estão estudando. Agora, as propagandas terão o nosso reitor dançando “get UP” com uma peruca Black Power. Mesmo assim, os esforços não vingarão. O Unicenp vai continuar Unicenp.

O Formiga
O super-hiper-mega-supersônico mercado formiga foi durante muito tempo ponto de referência na região brazense (no São Braz). Há uns sete anos o mercado mudou de nome, e mudou, e mudou e mudou de novo. Ainda assim, o formiga continua formiga. O ponto de referência ainda é o formiga, mesmo que não exista mais.

Exemplo Pessoal
Por um motivo que não vou contar agora (se não terei que escrever um novo texto), há exatos 9 anos deixei o meu nome de batismo para me chamar fogo. Todo mundo acha que o apelido se deve ao meu cabelo, que era Black Power. Por ter a mesma preguiça que estou agora em contar a história, acabo confirmando a história. Agora não tenho mais Black Power, mesmo assim vou continuar sendo fogo, provavelmente até o resto da vida.
Vou continuar sendo o fogo, que estuda no Unicenp, compra salgadinho no formiga e trabalha na rua do Cefet.
Postar um comentário