quinta-feira, 6 de março de 2008

Aham

Mariana e João Cláudio já estavam na rotina há tempos. Para João Cláudio isso era muito bom, para Mariana, uma bosta.
Na sexta-feira João Cláudio chegou em casa a noite, tirou os sapatos, afrouxou a gravata e pegou uma cerveja, como fazia todos os dias. Sentou em frente à televisão e ficou hipnotizado, como todos os dias. Mariana ficou só observando. No começo da hipnose televisiva ela falou:
- É isso que você vai fazer?
- Isso o que?
- Tirar, afrouxar, beber e assistir?
- Sim.
- Mas João Cláudio, você faz isso todo dia!
- Aham.
- Mas hoje é sexta-feira, você vai fazer a mesma coisa que na 2ª, na 3ª, na 4ª e na 5ª?
- Aham.
- Não agüento mais isso João Cláudio!
Ele a olhou com cara de pouco caso e virou-se de volta para a TV. Ela ficou mais emputecida. Respirou fundo, levantou-se, pegou um copo d’água e voltou ao seu lado.
Tentou puxar conversa novamente:
- Nossa, tive um dia horrível hoje.
- Aham.
- Aquele meu chefe é um filho da puta! Você lembra dele né?
- Aham.
Você conheceu ele no churrasco da empresa né?
- Aham.
- Ele é muito arrogante. Hoje ele gritou comigo umas três vezes na frente dos outros. Parece que ele faz de propósito, pra que todo mundo veja sabe?
- Aham.
- Hoje eu queria sair pra tomar umas cervejas, esquecer um pouco do trabalho sabe?
- Aham.
Mesmo “concordando”, João Cláudio continuou intacto. Conseqüentemente Mariana ficou ainda mais nervosa, foi até o quarto, pensou durante cinco minutos e voltou.
- João Cláudio, precisamos conversar!
Pegou o controle e desligou a TV. Enfim, João Cláudio olhou-a por mais de 5 segundos ininterruptos.
- Porra João Cláudio. Você faz todo dia a mesma coisa e nunca me dá atenção!
Ele ficou apenas olhando.
- Você nunca conversa comigo, nunca me conta como foi o seu dia!
Silêncio.
Em tom mais meigo, Mariana continua:
- Você não era assim no começo. Antes você era muito mais atencioso comigo.
Olhar apreensivo.
- Antes você me trazia presentes. Chegava em casa disposto, sempre com vontade de fazer alguma coisa.
Olhar de quem estava em um mundo distante.
- Caralho João Cláudio, faz mais de um mês que a gente não transa!!!
Ele não falou nada, o que a deixou mais raivosa. Foi até o quarto e voltou rapidamente.
- Ah João, vamos voltar a ser como antes. Vamos sair hoje?
Ele olhou e fez cara de pensativo. Ela continuou:
- Então João, vamos aonde?
Ele continuou com a cara de pensativo.
- Que merda João Cláudio. Desde que você chegou você não falou nada. Eu falei um monte de coisa e você não vai abrir a boca?
Ele balançou a cabeça negativamente.
Ela tirou uma arma e deu um tiro a queima roupa na cabeça dele.
- FALA AGORA SEU FILHO DA PUTA!!!
Silêncio.
Postar um comentário