domingo, 20 de setembro de 2009

No ar

Maquiagem ok. Luz ok. Câmera ok. A luz vermelha acende. No ar.
A apresentadora inicia: “Hoje em nosso programa um caso de traição em família. A mulher desconfia que seu marido a traiu com a irmã. Aqui em nosso estúdio o marido Wesley, a mulher Rosalina e sua irmã Leocádia”.
A apresentadora pede para que cada um conte sua versão. E anuncia: “no próximo bloco Wesley vai encara a máquina da verdade”.
Intervalo.
A máquina desenvolvida nos confins da Estônia mede o tom da voz do sujeito, se detectar um tom inseguro é considerada mentira. A true-machine é controlada por um psicólogo de renome internacional.
Wesley passa pela máquina. Sua sinceridade é de impressionar até mesmo a experiente apresentadora. Suas opiniões sobre a fidelidade são contundentes. “Olha Rosalina, só pelo que esse homem disse até agora e que a máquina constatou ser verdade, por mim já é suficiente para que você largue ele”.
A platéia, que em sua totalidade é feminina, aplaude. Ela aproveita: “isso inclusive está presente no meu livro mais recente...”.
E agora vamos para a pergunta final: “Wesley, você traiu sua mulher com a sua cunhada?”. Ele respira fundo, e quando vai responder...”antes disso o Carlos tem um aviso para nós”. O anunciante faz sua parte e o programa retorna.
Então agora vamos à pergunta decisiva: “Wesley, você teve um caso com sua cunhada Leocádia?”. Ele responde com convicção de maneira negativa. “E agora vamos ao veredicto da máquina. Ele disse que não traiu Rosalina com sua irmã, e para a máquina... mentiu”.
Rosalina leva as mãos ao rosto. Wesley faz cara de desentendido, como se fosse um absurdo o resultado. Leocádia faz cara de indiferente.
“Olha Rosalina eu já tinha dito antes pra você largar dele. Agora então se você continuar com ele significa que você gosta de ser enganada. E aí Rosalina, você vai continuar com esta mentira que é o seu casamento?”. Leocádia mal consegue falar de tanto chorar. Resmungando diz que jamais vai olhar na cara do marido.
A psicóloga presente avalia o caso de acordo com sua especialidade e faz uma explanação sobre a insegurança feminina.
A apresentadora anuncia a próxima atração da programação e fim.
Os auxiliares vêm tirar os microfones. A apresentadora vai conversar com a psicóloga.
A equipe de produção encaminha cada um dos envolvidos no caso para um lado. Cada van leva para casa um dos personagens da história daquele dia.
Rosalina chega em casa primeiro e fica pensando no ocorrido. Wesley chega um pouco depois.
Ele entra e os dois trocam olhares. Ela começa o diálogo:
- Então Wesley, cê num tem nada pra me falar?
- Desculpa Rosa. Desculpa.
Ele se ajoelha e junta as mãos.
- Levanta daí hôme. Fez e agora fica aí chorando.
Ele levanta e a dá um apertado abraço. Ela continua com os braços para baixo. Passados cinco minutos ele fala:
- Desculpa Rosa. Eu amo você. Vamos voltar como era antes.
Ela também o abraça forte. Dá-lhe um longo beijo e diz:
- Eu também te amo meu marido.
Postar um comentário