terça-feira, 17 de março de 2009

A princesa

“Cara, saca só que princesinha!”, comentou Renato com seu amigo quando estavam no forró da vila. Ele demorou um pouco mais do que deveria, mas foi conversar com a mocinha. Ao iniciar a conversa sua observação inicial foi confirmada, era mesmo uma princesinha. Seu modo de falar educadamente, sua forma de ouvir com atenção, a voz calma e suave completavam a mocinha de vestido de cetim. Naquela noite ela se tornou a sua princesa.
Para conquistá-la Renato não precisou lutar contra dragões, bruxas ou convencer um carrancudo rei, mas teve que demonstrar um pouco do que não estava acostumado: educação. Renato era daqueles que viviam com os piás da rua e as meninas com quem andava, falava e ficava eram tão piás quanto ele.
Agora deveria ter muita cordialidade com a princesa, que continuou a encontrar depois daquele dia. Sempre que conversavam Renato se esforçava ao máximo para não falar palavrões. Os amigos até comentavam que ele não parecia mais o mesmo. Aumentou até a freqüência com que tomava banho e escovava os dentes.
Os encontros foram intensificados e agora eram no mínimo diários. Se viam sempre depois da Malhação na rua de trás do prédio dele ou na quadra de esportes do condomínio dela. Certa vez conversavam lá quando ela derrubou no concreto duro da quadra o celular que acabara de comprar com seu primeiro salário. O aparelho quicou no chão e antes que batesse pela terceira vez Camila gritou: “Ôôôôôôôôôôô B*****!”.
Renato foi embora espantado e reflexivo. Nunca imaginaria que um dia ela fosse falar um palavrão. Não pensaria nem mesmo que ela poderia conhecer algum. Mal conseguiu dormir pensando naquilo. Será que Camila era apenas uma princesinha de araque?
Continuaram a se encontrar normalmente. Ele achou melhor não comentar. Passado o baque do rapaz ela começou a falar mais e mais palavras de baixo calão. Ele foi se acostumando. Pensando bem era melhor assim. Já estava cansado de se fazer de santo pra ela. Tornaram-se o casal mais boca suja do bairro, mas Camila foi eternamente a princesinha do Renato. Eles casaram, tiveram filhos e viveram felizes pra C******.
Postar um comentário