quarta-feira, 29 de maio de 2013

Adeus Guarda-chuva

Hoje perdi meu guarda-chuva.

Como provavelmente você não vai ler isso no dia em que escrevi, então imagine que o seu hoje é o meu hoje (28/05/13). E caso não more no mesmo lugar que eu imagine uma cidade em que chove muito. Vamos chamar esse lugar de Curitiba.

Pois bem, hoje perdi meu guarda-chuva. Mas não vou sentir sua falta. Odeio guarda-chuvas.

Se não está chovendo ele é um peso desnecessário. E se está, tenho que carregar aquele negócio molhado. Não dá pra colocar na mochila. Sou obrigado a colocá-lo no chão e esquecê-lo.

Prefiro usar aqueles guarda-chuvas enormes. Com eles é mais fácil furar os olhos dos desprotegidos, são mais difíceis de perder e se não estiver chovendo podem ser usados como uma bengala.

Há anos o guarda-chuva estava guardado sem guardar nenhuma chuva. Hoje, por motivos curitibanos, tive que levá-lo. Assim como eu, ele teve que sair do seu lugar aconchegante e ir para a cidade fria, molhada e escura.

O ex-meu pequeno e incômodo guarda-chuva não fará falta. Mas espero que ele encontre alguém.

Postar um comentário